6 boas práticas para a biossegurança em laboratório

As boas práticas de biossegurança em laboratório são de primordial importância para garantir a segurança como um todo. Devem ser realizados treinamentos constantes e estímulo para que todos os colaboradores possam realizá-las sempre com cuidado e excelência.

É importante ter em mente que elas têm por objetivo não apenas salvaguardar a segurança, o bem-estar e a saúde do próprio funcionário, como também de toda a equipe. E é por isso que vamos explicar com detalhes, neste artigo, as principais práticas em biossegurança em laboratório. Confira!

1- Atenção às práticas básicas de laboratório

Essas práticas de biossegurança em laboratório são básicas e devem ser aplicadas a qualquer laboratório, independentemente do porte ou tipo. Elas são baseadas em conhecimentos técnicos e são consideradas senso comum entre todas as pessoas que trabalham diretamente no laboratório.

As pessoas que trabalham com agentes infecciosos, materiais infectados ou produtos tóxicos devem estar conscientes dos perigos potenciais e serem treinados constantemente para saberem as formas mais seguras e corretas de manusearem esses itens com segurança.

O gestor pode ser responsável pelo treinamento e a elaboração de um manual com as diretrizes básicas, mas a responsabilidade continua sendo do técnico do laboratório. Por isso, listamos as sete regras mais importantes de biossegurança em laboratório que devem ser a base de qualquer ética de trabalho de laboratório.

1. Não faça pipetagem na boca. Esse tipo de técnica era muito utilizado antigamente, mas devido ao risco de contaminação, hoje está em desuso.

2. Manipule os fluidos infecciosos cuidadosamente para evitar que derramem ou produzam aerossóis na centrifugação.

 3. Restrinja a manipulação de agulhas, seringas e outros objetos cortantes apenas para os procedimentos necessários. Faça o descarte destes em recipientes adequados, evitando acidentes na manipulação do lixo.

4. Ao trabalhar no laboratório, sempre use casacos, luvas, óculos de segurança e outros equipamentos de proteção individual.

5. Lave as mãos após todas as atividades de laboratório, após a remoção das luvas e imediatamente após o contato com agentes infecciosos.

6. Descontamine as superfícies de trabalho antes e depois do uso e imediatamente após haver o derramamento de algum líquido.

7. Não coma, beba, armazene alimentos ou fume no laboratório.

2- Cuide da limpeza do laboratório e da higiene pessoal

A segurança pessoal em laboratórios é bem abrangente. Manter as áreas de trabalho limpas e organizadas é também uma prática de biossegurança em laboratório, pois espaços desorganizados e sujos aumentam as chances de lesões e exposições.

E se o espaço de trabalho é compartilhado, a importância de manter uma área limpa e organizada aumenta significativamente. Os colegas de trabalho devem contar uns com os outros para maximizar a eficiência e a segurança. Os materiais pessoais devem ser adequadamente rotulados e os resíduos descartados. Para garantir o bem-estar próprio e dos colegas, deve-se considerar as seguintes orientações:

  • implementar uma rotina de limpeza assegura que as áreas de trabalho fiquem livres de fontes de contaminação e de perigos;
  • os procedimentos de limpeza devem ser baseados no grau de risco para o qual o pessoal e a integridade experimental podem ser submetidos;
  • o pessoal de laboratório é responsável pela limpeza dos equipamentos e das áreas que requerem conhecimento técnico especializado;
  • o acesso a saídas, lavatórios, lavagens oculares, chuveiros de emergência e extintores de incêndio devem estar desbloqueados e ser de fácil acesso;
  • o local de trabalho deve estar livre de perigos físicos;
  • a segurança elétrica é uma prioridade, especialmente no que diz respeito ao uso de cabos de extensão. O equipamento deve ser devidamente aterrado para evitar sobrecarga da rede, incêndios e riscos de choque em áreas úmidas;
  • as superfícies devem ser limpas e livres de produtos químicos, utensílios de vidro e equipamentos raramente usados;
  • os itens desnecessários nos pisos, bancos ou qualquer local do laboratório devem ser removidos;
  • todos os cilindros de gás comprimido devem estar adequadamente protegidos.

A higiene pessoal é muito importante para assegurar a proteção da equipe e a biossegurança em laboratório. Há diversas técnicas de higiene pessoal, como lavar as mãos constantemente, usar todos os equipamentos de proteção e seguir as normas de segurança que preservem e garantam a vida de todos.

É completamente proibida a realização de tarefas cosméticas pessoais, como a aplicação de maquiagem, limpeza ou corte de unhas ou escovação de cabelo. Essas atividades oferecem novas oportunidades de exposição e contribuem para a contaminação do ambiente laboratorial. Comer, beber e outras atividades contaminantes devem ser totalmente proibidas dentro desse ambiente.

3- Respeite as práticas para materiais de perigo biológico, microorganismos e toxinas

Os técnicos de laboratório devem estar informados sobre os riscos associados aos agentes biológicos presentes no laboratório. As informações sobre os perigos e os riscos devem estar totalmente disponíveis para toda a equipe.

Outra prática importante é realizar o inventário de agentes e materiais biológicos e/ou produtos controlados independentemente do seu grupo de risco. Isso garante que o laboratório possa desenvolver medidas adequadas para evitar a contaminação. Outro ponto muito importante é ter controle de acesso a esses materiais, a fim de evitar a remoção não autorizada a agentes biológicos.

Os agentes biológicos, microorganismos e toxinas de alto risco devem ser armazenados em recipientes bloqueados e com controle de alta segurança para evitar acidentes que comprometam não apenas a saúde individual, mas também de toda a equipe do laboratório e até mesmo da comunidade que vive no entorno do laboratório.

As toxinas biológicas isoladas são perigos químicos e, ainda que elas produzam efeitos adversos em doses significativamente inferiores as dos produtos químicos laboratoriais “tradicionais”, devem ser consideradas como um grave risco. O uso laboratorial de toxinas isoladas deve sempre seguir o manual de segurança, fornecido no momento da compra e recebimento da mesma.

Além disso, é importante rotular adequadamente esses materiais e aplicar o símbolo universal de risco biológico. Esse símbolo é aplicado não apenas a materiais altamente contaminantes, como também em lixo hospitalar, amostras de sangue e toxinas que possam por em risco a saúde humana.

4- Preste atenção as recomendações de uso dos equipamentos

Os equipamentos precisam ser adequadamente manipulados e usados a fim de garantirem a biossegurança em laboratórios. Cada equipamento necessitará de cuidados básicos.

A criação de um manual de boas práticas e treinamento constante aumentará exponencialmente a segurança para todos. Confira todas as recomendações de segurança para os principais equipamentos.

Tenha sempre um controle automático de manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos afim de evitar riscos desnecessários e paradas inesperadas dos equipamentos do seu laboratório. Faca esse controle de equipamentos através do software de gestão SampleManager.

5- Realize a prevenção de aerossóis e gotas

O manuseio de líquidos pode gerar aerossóis ou gotículas, principalmente aqueles que realizam a centrifugação, o vortex e o misturador. Eles podem produzir aerossóis respiráveis que se mantêm no ar por longos períodos, podendo ser inalados. Portanto, tenha cuidado ao manuseá-los para garantir a biossegurança em laboratório.

Pipetas

Pipetas são usadas para medições volumétricas e a transferência de fluidos que podem conter agentes infecciosos, tóxicos, corrosivos ou radioativos. E para evitar que hajam infecções e outros riscos pelo manuseio deste equipamento, siga as seguintes orientações de biossegurança em laboratório:

  • nunca faça pipeta na boca. Sempre use um auxiliar de pipetagem;
  • se estiver trabalhando com fluido biológico ou tóxico, confine as operações de pipetagem a um local que ofereça segurança biológica;
  • não prepare materiais biológicos perigosos principalmente que borbulhem por uma pipeta;
  • ao fazer pipetas, evite a liberação acidental de gotículas infecciosas;
  • não descarregue material de uma pipeta de uma grande altura. Sempre que possível, permita que o líquido seja despejado e escorra pela parede do recipiente;
  • pipetas quebradas ou com alguma rachadura devem ser descartadas em recipientes adequados.

6- Atenção aos riscos com a centrífuga

Os riscos associados à centrifugação incluem falhas mecânicas e a criação de aerossóis. Para minimizar o risco de falha mecânica, as centrífugas devem ser mantidas e utilizadas de acordo com as instruções do fabricante.

O pessoal do laboratório deve ser devidamente treinado e as instruções de operação que incluem precauções de segurança devem estar bem visíveis no ambiente de trabalho. Confira as melhores recomendações de biossegurança para centrífugas em laboratório:

  • garanta que os tubos estejam completamente selados. Inspecione se estão corretamente tapados, se há algum tipo de rachadura, etc. para garantir a integridade deles;
  • depois que os tubos são preenchidos e selados, limpe-os com desinfetante;
  • em caso de quebra durante a centrifugação, a unidade deve ser descontaminada antes que possa ser reutilizada;
  • sempre balanceie os tubos adequadamente antes da centrifugação. Por exemplo, se você for centrifugar uma amostra de 10ml, coloque outro tubo par com o mesmo volume;
  • sempre use a centrífuga em uma superfície plana;
  • desligue imediatamente o equipamento caso, durante a centrifugação, ele apresente um barulho estranho e vibração em excesso;
  • faça seu controle de manutenções corretivas e preventivas adequadamente utilizando controles automáticos.

Dica bônus: use o Sample Manager para garantir a biossegurança em laboratório

O Sample Manager é software de gestão laboratório completo, que está pronto não apenas para garantir a biossegurança em laboratório, como também para atender a todas as normas de qualidade e garantir a aplicação da ISO-17025.

Os processos de biossegurança em laboratório podem ser automatizados, configurados e incluídos no Workflow do SampleManager. Isso garante que todo o pessoal do laboratório registre e execute as normas de segurança, diminuindo exponencialmente o risco de falha humana.

Essas são as principais dicas de biossegurança em laboratório, porém ainda existem muitas outras recomendações. Cada tipo de laboratório pode necessitar de normas próprias, dependendo do tipo de análise e materiais que manipulam. O mais importante é que você esteja ciente da importância de seguir todos os procedimentos, a fim de garantir a sua segurança e a dos seus colegas de trabalho.

Gostou do artigo? Então curta a nossa Fanpage e fique por dentro de todas as novidades.

Veja também

Interfusão TI

Criando soluções em LIMS e P&D

LEIA TAMBÉM

Empresa do Grupo