Auditoria ISO 17025: um panorama completo sobre ela

A busca por serviços de qualidade percorre diversas etapas que garantam a constante revisão das atividades de um laboratório. Uma delas consiste na realização da auditoria ISO 17025, uma análise que avalia o cumprimento de normas preestabelecidas voltadas para o sistema de gestão.

Dessa forma, os gestores de um laboratório podem examinar a implementação do sistema e dar respostas mais rápidas em casos de falhas, e/ou de geração de relatórios, por exemplo.

Quer saber mais sobre auditoria ISO 17025 e como ela pode contribuir para melhorar o seu laboratório? Leia nosso artigo e confira!

Do que se trata a auditoria 17025?

A auditoria é um processo que promove a identificação de falhas e a proposição de melhorias para a empresa, por meio de um conjunto de atividades que avaliam se as operações estão sendo executadas de acordo com as normas reguladoras vigentes. Em uma organização, realizar uma auditoria ISO 17025 traz, além de mais confiabilidade, mais eficiência na resolução de possíveis falhas.

No caso de um laboratório, conduzir uma auditoria ISO 17025 significa que o local deve estar preparado para efetuar serviços como calibração e/ou ensaios, além de cumprir todas as exigências legais relacionadas a essas atividades. Tais requisitos incluem, por exemplo, a adequação dos equipamentos e local de trabalho, a frequente avaliação feita por órgão competente, e a capacitação dos profissionais responsáveis pelas operações.

E qual a relevância da auditoria interna para o laboratório?

Além de aprimorar os procedimentos de ensaio e calibração de um laboratório, a auditoria interna torna a empresa mais competitiva no mercado, por meio do controle de qualidade das operações. Para isso, é importante que exista um profissional ou equipe dentro da empresa capaz de examinar minuciosamente as atividades do laboratório e verificar, de forma crítica, se tais atividades são realizadas dentro dos parâmetros preestabelecidos.

Com a auditoria, é possível que os gestores possam acompanhar mais de perto os pontos de atenção existentes nas operações do laboratório, que podem incluir desde o controle de estoque, a infraestrutura, e as condições financeiras da empresa. A ideia é que a avaliação seja feita da maneira mais abrangente possível.

A auditoria interna contribui também para a conformidade do laboratório em relação aos órgãos regulamentadores como o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e a Coordenação Geral de Acreditação (CGCRE), organização ligada ao Inmetro. Tais entidades atuam no apoio ao desenvolvimento das empresas por meio da regulamentação, de modo a tornar os produtos e serviços mais confiáveis e seguros.

Além disso, estar de acordo com as normas previstas pelo Inmetro e CGCRE permite que o laboratório alcance um status de excelência, tornando-o reconhecido e competitivo nacional e internacionalmente em termos de qualidade. Com uma auditoria bem executada, a empresa torna-se referência no mercado.

Auditoria manual: vale a pena?

Considere que, ao longo de um processo de auditoria ISO 17025, seja necessário reunir diversos documentos da empresa, definir qual a amostragem a ser avaliada, quais equipamentos serão examinados, estabelecer as metas a serem alcançadas, e determinar o tempo de duração e os recursos necessários à avaliação. São muitos dados para serem registrados de maneira manual, certo?

Pense também na quantidade de recursos que seriam utilizados nessa modalidade “analógica”. Certamente, seriam gastos uma enorme quantidade de papéis e arquivos físicos, além do tempo de trabalho empregado na organização de todos esses registros. Somados, esses fatores contribuem para aumentar as despesas de uma empresa e também para tornar o processo mais suscetível a erros.

Mas afinal de contas, quais são as etapas da auditoria?

Em linhas gerais, a auditoria 17025 é executada em cinco fases, que devem ser planejadas de modo estratégico para que os resultados sejam os mais confiáveis possíveis. Confira abaixo:

  • Planejamento e criação do roteiro: nesta fase, são estabelecidos os métodos utilizados e as limitações e riscos envolvidos nesse processo. É feita também a estimativa da dimensão da auditoria, considerando tempo, quantidade de dados e profissionais envolvidos, e a divisão das tarefas.
  • Plano de auditoria: aqui, cria-se um documento baseado nas informações reunidas na etapa de planejamento. São consideradas e registradas as atividades que serão executadas no processo, objetivos, parâmetros de referência, prazos, profissionais envolvidos, a amplitude das avaliações e os recursos necessários para a conclusão da auditoria, tudo isso da forma mais detalhada possível.
  • Execução: ao início da fase prática, é feita uma reunião entre a equipe da auditoria 17025 e os gestores do laboratório, na qual são apresentados os objetivos do programa, os profissionais envolvidos, as tarefas a serem executadas e a quantidade de recursos necessárias. São alinhadas também a viabilidade das atividades, os métodos utilizados, e as condições nas quais a auditoria pode ser interrompida.
  • Relatório: neste ponto, são registradas todas as análises feitas na auditoria, além de uma descrição detalhada de todos os prazos e auditores responsáveis por cada tarefa. São destacados também todos os resultados obtidos, de modo que sejam expostas falhas, pontos de atenção e medidas corretivas a serem tomadas. Logo após, o relatório é entregue aos gestores para avaliação e posterior execução das melhorias.
  • Acompanhamento: a etapa final da auditoria consiste no monitoramento das ações corretivas sugeridas pelo relatório, para garantir que as falhas sejam corrigidas o quanto antes, de acordo com os prazos estabelecidos.

Por que investir na auditoria 17025?

É evidente que, com a certificação, o laboratório garanta mais qualidade e confiabilidade às suas atividades, além de mais competitividade no mercado – alguns itens, para serem comercializados, precisam antes passarem pela análise de laboratórios que estejam de acordo com a NBR 17025. Portanto, buscar a certificação é um investimento que, em certo prazo, traz diversos benefícios para a empresa.

Dessa forma, é importante que nesse processo sejam priorizados softwares de confiança que, além de modernizarem o gerenciamento do laboratório, promovam mais eficiência à gestão de auditorias. Ao optar pelo uso de um sistema de gestão digital, o laboratório reduz custos, otimiza o tempo de trabalho e integra várias tarefas em uma única plataforma, o que possibilita aos gestores uma visão global do negócio.

Um bom exemplo de ferramenta é o Sample Manager, um tipo de  LIMS (Laboratory Information Management System), que atua na gestão, automatização, controle e otimização dos procedimentos de um laboratório. Com o Sample Manager, é possível gerar dados e relatórios para a auditoria 17025, por exemplo, de maneira simples e intuitiva.

Depois de aprender mais sobre o processo de auditoria ISO 17025, que tal conhecer o processo de rastreabilidade em laboratórios?

Veja também

Interfusão TI

Criando soluções em LIMS e P&D

LEIA TAMBÉM

Empresa do Grupo