Gestão laboratorial: como ter sucesso com o seu laboratório?

Para um laboratório crescer e se estabelecer, é necessário realizar uma boa gestão. O gestor do laboratório é o principal responsável por criar e aplicar boas práticas de laboratório.

A gestão laboratorial é uma área de conhecimento bem ampla. Ela lida, tanto com a parte de recursos humanos quanto de insumos, atendimento ao cliente, marketing, gestão de crises, planejamento e análise de resultados.

Que tal algumas dicas, boas práticas e habilidades básicas para um gestor elevar seu laboratório a grandes patamares? Discorreremos sobre esse assunto hoje, continue a leitura!

Gestão laboratorial: estabeleça comunicação na sua liderança

Basicamente, um gestor precisa desenvolver estas habilidades:

  • Macro visão dos projetos em execução no laboratório;
  • Liderança;
  • Mentoria;
  • Definição de metas e planos de contingência;
  • Saber alocar os recursos de acordo com a prioridade de um projeto.

A comunicação e a liderança é, talvez, a habilidade mais difícil de dominar. Isso porque a raça humana é formada por indivíduos extremamente diferentes uns dos outros.

Temos fatores culturais, sociais, genéticos e culturais que geram uma grande diversidade de pensamentos, atitudes e valores. Existem pessoas que são muito comunicativas e ótimas em trabalhar em equipe e existem pessoas que podem ser totalmente o oposto. Há aquelas que são mais lógicas e as mais emocionais e assim continua. Todas possuem características fortes e que serão positivas para o laboratório, porém também têm suas características negativas.

Respeito à diversidade

Lidar com pessoas é como dirigir uma orquestra. Cada instrumento produz um tipo de som bem específico, um bom gestor/maestro sabe harmonizar e produzir uma bela composição a partir de cada colaborador/músico.

Como dito, as pessoas são diversas e nem todas são simpáticas ou colaborativas por natureza. Quando você respeita as suas características, consegue se envolver com cada indivíduo do time para ajudá-los a realizar seus objetivos.

Esse é o principal fator do sucesso de um laboratório: a motivação do time. Recursos modernos e investimento são cruciais também, mas nenhum deles será efetivo se o seu time estiver desmotivado e não se unir para conquistar os objetivos do laboratório. Em muitos casos, você só precisa perguntar ou discutir um problema ou um desafio para obter a assistência necessária.

Crie uma equipe que possa se auto gerir

Um líder altamente centralizador é sempre é um péssimo líder. Sempre.

Apesar de vermos laboratórios com líderes centralizadores estabelecidos, é importante lembrar que eles poderiam alcançar patamares maiores se optassem por uma gestão descentralizada. Esse modo de gerir é antigo e não é sustentável em um mundo como o nosso, que evolui rapidamente. Esse tipo de gestão atrasa projetos, já que o gestor controla cada aspecto do processo, desmotiva a equipe, gera problemas e custos, tanto de força de trabalho quanto de outros recursos.

Táxis vs Uber

Um bom exemplo de gestão centralizadora versus gestão descentralizada é o caso dos Táxis vs Uber. O táxi pode ser considerado aquele laboratório estabelecido e centralizador.

Estabelecido por não possuir concorrentes e centralizado na questão do dono do ponto (carro) estabelecer regras rígidas e pouco lucrativas aos seus motoristas, revertendo em preços maiores e até mau atendimento aos clientes. O Uber veio com uma proposta nova de transporte pago, usando apps (linguagem do público-alvo), uma remuneração justa para seus funcionários, no caso autônomos, liberdade de decisão e trabalho e diminuição dos custos.

Estabeleceu regras claras e bons controles de qualidade, facilmente cumpridos e, aliás, cumpridos com motivação, por toda a equipe, o que gerou um custo menor ao cliente e um melhor atendimento. Resultado: O Uber, em poucos anos, está começando a superar uma instituição centenária e estabelecida. É um exemplo básico que pode ser aplicado a vários laboratórios.

Como estabelecer uma gestão descentralizada? Vamos ao próximo tópico!

Mantenha o gerenciamento eficiente de projetos

O treinamento no laboratório para tomada de decisão autônoma por parte dos funcionários facilitará sua vida e tornará a direção do laboratório muito mais leve. Para que seus funcionários possam se autogerir, é necessário investir na formação e treinamento deles, não apenas na questão técnica.

É preciso que eles adquiram uma série de hábitos e comportamentos que estejam a favor da própria evolução e do laboratório. Isso é fomentado por meio de coerência de atitudes por parte da gerência.

Principalmente com relação à tomada de decisão, que requer conhecimento, confiança e experiência. Você terá garantia que todos os processos serão cumpridos, com eficiência e agilidade. O Uber possui regras de qualidade muito maiores e mais rígidas que um táxi e elas sempre são cumpridas com excelência por parte dos motoristas.

Invista em tecnologia

Como dito, uma gestão mais moderna é imprescindível para a continuidade dos negócios. Adquirir uma tecnologia que torne o laboratório mais ágil e competitivo também é.

Para laboratórios, uma ferramenta tecnológica muito importante é um software gestor que integre e automatize todos os processos mais antigos, que incluem o uso de planilhas para a anotação de dados e gestão manual de insumos. Um software gestor automatiza a maioria dessas tarefas, diminuindo erros e retrabalhos, dando mais segurança ao laboratório.

LIMS

A tecnologia adequada é capaz de fornecer dados consistentes para a tomada de decisões importantes. Isso significa não apenas segurança em dados corretos e assertivos, como também ágeis.

LIMS, plataforma de gestão de laboratórios mais utilizada no mundo, é capaz de gerir automaticamente os insumos do laboratório. Caso algum equipamento fique descalibrado, ou caso algum reagente esteja próximo de ter sua validade expirada, ele alerta o responsável da situação para que ela seja regularizada.

Isso elimina a necessidade de inspeção manual e potenciais erros humanos. A equipe fica liberada para fazer o que ela tem de melhor e o laboratório tem mais confiabilidade em seus dados e informações.

Gestão laboratorial “à moda antiga”

Nesse modelo, relatórios altamente importantes demoram muitos dias para ficarem prontos, porém com uma boa ferramenta, isso é produzido com grande agilidade. Um gestor consegue responder em minutos a questionamentos como:

Quanta carga de trabalho o laboratório dispõe?

Como otimizar a utilização dos recursos?

Quando contratar?

Quando comprar mais instrumentos?

Qual a minha capacidade produtiva?

Onde estão meus gargalos e ineficiências?

Posso produzir mais rápido?

Prever futuras necessidades de recursos?

Como visto, a gestão laboratorial depende não apenas de conhecimento técnico, mas de uma série de fatores e habilidades. Ter um laboratório eficiente e próspero é ter ele bem gerido. As habilidades descritas neste artigo são o primeiro passo para conquistar a excelência e estar à frente da concorrência.

Tem mais alguma boa dica de gestão laboratorial? Então deixe um comentário!

Veja também

Interfusão TI

Criando soluções em LIMS e P&D

LEIA TAMBÉM

Empresa do Grupo