Instrumentos de Laboratório: aprenda a integrá-los!

A integração de instrumentos de laboratório hoje não é apenas uma tendência, e sim uma necessidade e praticamente uma obrigação para quem deseja se manter competitivo e alcançar níveis mínimos de qualidade. A tecnologia pode mudar drasticamente a forma como as organizações projetam, desenvolvem, entregam e suportam aplicações e infraestruturas de dados para oferecerem o máximo de valor aos laboratórios.

A integração efetiva de dados e instrumentos de laboratório promete aumentar a capacidade das organizações para tomar decisões mais bem informadas sobre a alocação de recursos durante o processo de descoberta e de análises. E não apenas isso, ela é totalmente necessária para evitar perdas financeiras e também atingir os níveis de conformidade e de qualidade exigidos pelos principais órgãos regulatórios.

Leia nosso artigo e entenda o que é a integração de instrumentos de laboratório e como ela beneficia seu laboratório.

Porque integrar os instrumentos de laboratório?

Um laboratório precisa ser extremamente rígido em seus controles de qualidade para que obtenha o máximo de eficiência e de segurança em todos os aspectos de sua rotina. E isso significa ter diretrizes e normas de conduta bem rígidas e também processos bem definidos.

No entanto, um laboratório possui uma série de tarefas repetitivas e mecânicas que, ao serem realizadas por humanos, podem apresentar uma grande chance de erros. E dentre elas está a rotina de calibração de instrumentos de laboratório e também a documentação de resultados de análises,

É por esse motivo que muitos dos laboratórios mais modernos e competitivos têm automatizado seus fluxos e principalmente integrado seus instrumentos com o laboratório. Essa integração permite automatizar toda a rotina repetitiva, zerando a possibilidade de erros humanos.

Surpreendentemente, a maioria dos laboratórios trata ainda de forma manual os fluxos de dados entre os instrumentos de laboratório analíticos e esses tipos de sistemas, bem como o controle de qualidade e calibração destes. Podemos inclusive, dizer com toda a segurança, que laboratórios que possuem procedimentos manuais possuem muitos mais custos e não possuem segurança.

Os laboratórios acabam gastando um tempo demasiado de sua equipe ao ter de configurar e analisar manualmente os dados dos instrumentos de laboratório. Além disso, erros podem acarretar em processos judiciais e multas devido à falta de conformidade e segurança apresentados. Outra perda é material, já que é possível receber efeitos negativos significativos das retiradas de produtos ou de eventos adversos se a qualidade dos resultados não atender às normas.

Os erros de transcrição gerados na transferência dos dados brutos para os resultados é algo muito comum em laboratórios manuais e que geram importantes perdas financeiras. Por isso é essencial que os laboratórios adotem métodos de redução de erros de transcrição. O uso de uma interface de instrumento confiável é uma maneira muito interessante para reduzir os erros advindos de falhas humanas.

Ao remover a necessidade de transcrição, essa fonte de erro é eliminada. Os benefícios completos podem ser um pouco mais difíceis de quantificar, por exemplo, erros reduzidos nos resultados de relatórios também aumentam a análise custo / benefício.

O que é a integração de instrumentos de laboratórios?

A integração dos instrumentos de laboratório pode ser dividida facilmente em três categorias: básica, padrão e avançada.

Na categoria básica, a conectividade é fornecida entre o instrumento em questão e o sistema de destino (como o LIMs, por exemplo) para dados limitados, como resultados brutos. Para estes casos não existe inteligência de aplicativos, nem há tentativa de otimizar ou automatizar o processo de teste analítico que produz os resultados.

Na categoria padrão, a integração é bidirecional em que os requisitos de análise são baixados para o instrumento e os resultados instrumentais são processados, transformados e aprimorados antes do armazenamento no sistema. Desta forma, as operações manuais que os analistas executam para alcançar os resultados finais corretos para relatórios são automatizadas e otimizados para o nível apropriado.

Na integração avançada de instrumentos de laboratório são adotados algoritmos e processos especializados para suportar aplicações específicas, como uniformidade de conteúdo, perfis de dissolução automatizada e tratamento de compostos desconhecidos por cromatografia.

Como é possível perceber, existem benefícios cada vez mais significativos para a automação à medida que ocorre a integração dos instrumentos de laboratório com o sistema.

Como escolher o sistema ideal?

Existem muitos sistemas LIMs no mercado, mas poucos são tão completos como Sample Manager. Para ajudá-los a escolher, confira as 3 fases fundamentais que um sistema deve oferecer.

Coleta de informações: um laboratório precisa avaliar como as informações são coletadas sobre as amostras. Um LIMS moderno pode automatizar os processos que, no passado, exigiam que os analistas investigassem as planilhas para realizarem a correspondências e os cruzamentos de dados. E esse processo podia ser exaustivo, demorado e passível de falha humana. Quando os instrumentos são usados, os laboratórios precisam garantir que o novo software seja integrado a kits e procedimentos providenciados pelo fornecedor.

Avaliação da qualidade dos dados: seu sistema deve ser capaz de rastrear a qualidade dos dados provenientes de vários instrumentos de laboratório. Ele deve ser capaz, inclusive, de verificar quais instrumentos estão descalibrados e impedir o trabalho caso haja risco de comprometimento dos resultados por falha no equipamento. Além disso, com grandes conjuntos de dados disponíveis e arquivados em um sistema, os usuários podem analisar métricas e determinar se algumas amostras precisam ser retrabalhadas, se mais amostras precisam ser solicitadas ou se o tempo de análise adicional é necessário.

Resultados de acompanhamento: os laboratórios gastaram quantidades consideráveis de dinheiro e espaço de armazenamento para reter dados. Esses sistemas geralmente são ineficientes e, quando os detalhes específicos são necessários, a equipe pode passar horas buscando informações. Seu sistema deve fornecer arquivos centralizados e pesquisáveis que permitem uma recuperação fácil.

A integração com instrumentos com o SampleManager é a forma de conseguir ter maior ganho de retorno nos projetos. A maior falha dos laboratórios hoje está no erro de digitação e transcrição de resultados de instrumentos.

Em um laboratório farmacêutico, por exemplo, os dados dos instrumentos são anotados em um papel e posteriormente são transcritos para uma planilha. Depois nessa planilha os dados são tratados, cálculos são feitos e, ao final, os resultados são digitados novamente no SAP ou no relatório final.

Com o SampleManager todas essas etapas são automatizadas, os erros são zerados e a produtividade aumenta. Também o SampleManager pode ser integrado com qualquer tipo de instrumento que possibilite conexão via USB, RS232, Wi-fi, arquivo ou qualquer outro meio de comunicação. Ainda é possível fazer a gestão de dados brutos de instrumentos em uma única plataforma.

Infelizmente, a maioria dos laboratórios no Brasil ainda opera de forma obsoleta e insegura, usando planilhas e outras tecnologias totalmente ineficazes para as suas necessidades específicas.

Para que um laboratório possa estar em conformidade com as principais normas reguladoras nacionais e internacionais, ter qualidade e otimização de custos, o software interno a ser adotado precisa realizar a integração com seus instrumentos. Essa não é apenas uma vantagem, é uma necessidade urgente de todos os laboratórios.

Você achou este artigo útil? Então assine a nossa newsletter e receba mais leituras como essa!

Veja também

Interfusão TI

Criando soluções em LIMS e P&D

LEIA TAMBÉM

Empresa do Grupo